Fotografia da Natureza por André Brito e Ana Esteves

Melro de água

Publicação na National Geographic

National Geographic

É com muito gosto e orgulho que mostro uma página da revista National Geographic, edição de Dezembro de 2014 com a publicação de uma foto minha.

A foto foi obtida durante esse mesmo ano num dos ninhos que eu acompanho da espécie.

Vasco Esteves de Baixo é um local privilegiado para a observação de melro de água e é aí que com a ajuda dos meus amigos tenho alargado o conhecimento destas fantásticas aves.

Para eles (meus amigos) vai um grande abraço e um agradecimento especial, juntos temos afinado estratégias, descobertos novos casais e territórios.

Acima de tudo temos tentado preservar o património biológico da aldeia, mostrar que o interior esquecido por muitos ainda mantém gente atenta a aquilo que os rodeia.

A todos o meu muito obrigado!!!

 

Foto original:

Cinclus cinclus_2014_13


Cinclus cinclus

Cinclus cinclus_2014_7-resolução

Mede cerca de 17-18,5 com e é o ex-libris dos rios de montanha. É uma ave escura de cauda curta, marcada por uma conspíscua gorjeira branca, fazendo lembrar uma carriça de peito branco mais em ponto grande. Possui uma coroa cor de chocolate, parte superior preta, peito branco e abdómen castanho-avermelhado (mais escuro nas aves continentais).

Habita em rios de montanha, com cursos de água rápidos. Passa grande parte do tempo em busca de alimento no meio das águas onde revira as pedras, nada e mergulha. quando visto em voo passa como um míssil vocalizando. O seu território pode ter mais de 2 km.

Alimenta-se de macro invertebrados aquático, que captura durante os mergulhos ou nas rochas submersas.

Constrói um ninho tipo cúpula num buraco junto à água. efectua 2-3 posturas de Março a Junho com 5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Cinclus cinclus

Cinclus cinclus_2014_4-resolução

Mede cerca de 17-18,5 com e é o ex-libris dos rios de montanha. É uma ave escura de cauda curta, marcada por uma conspíscua gorjeira branca, fazendo lembrar uma carriça de peito branco mais em ponto grande. Possui uma coroa cor de chocolate, parte superior preta, peito branco e abdómen castanho-avermelhado (mais escuro nas aves continentais).

Habita em rios de montanha, com cursos de água rápidos. Passa grande parte do tempo em busca de alimento no meio das águas onde revira as pedras, nada e mergulha. quando visto em voo passa como um míssil vocalizando. O seu território pode ter mais de 2 km.

Alimenta-se de macro invertebrados aquático, que captura durante os mergulhos ou nas rochas submersas.

Constrói um ninho tipo cúpula num buraco junto à água. efectua 2-3 posturas de Março a Junho com 5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Cinclus cinclus

Cinclus cinclus_2013_02

 

Mede cerca de 17-18,5 com e é o ex-libris dos rios de montanha. É uma ave escura de cauda curta, marcada por uma conspíscua gorjeira branca, fazendo lembrar uma carriça de peito branco mais em ponto grande. Possui uma coroa cor de chocolate, parte superior preta, peito branco e abdómen castanho-avermelhado (mais escuro nas aves continentais).

Habita em rios de montanha, com cursos de água rápidos. Passa grande parte do tempo em busca de alimento no meio das águas onde revira as pedras, nada e mergulha. quando visto em voo passa como um míssil vocalizando. O seu território pode ter mais de 2 km.

Alimenta-se de macro invertebrados aquático, que captura durante os mergulhos ou nas rochas submersas.

Constrói um ninho tipo cúpula num buraco junto à água. efectua 2-3 posturas de Março a Junho com 5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Cinclus cinclus (Cria)

Mede cerca de 17-18,5 com e é o ex-libris dos rios de montanha. A cria de Melro-d’água  possui uma coloração bem distinta dos adultos. Notoriamente malhada entre um bege e castanho. Contudo os padrões primários são mantidos. O peito é mais claro com malhas e o dorso mais escuro. As suas patas também são visivelmente mais claras.

Habita em rios de montanha, com cursos de água rápidos. Passa grande parte do tempo em busca de alimento no meio das águas onde revira as pedras, nada e mergulha. quando visto em voo passa como um míssil vocalizando. O seu território pode ter mais de 2 km.

Alimenta-se de macro invertebrados aquático, que captura durante os mergulhos ou nas rochas submersas.

Constrói um ninho tipo cúpula com musgos num buraco junto à água. efectua 2-3 posturas de Março a Junho com 5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Ninho de Cinclus cinclus

Mede cerca de 17-18,5 com e é o ex-libris dos rios de montanha. É uma ave escura de cauda curta, marcada por uma conspíscua gorjeira branca, fazendo lembrar uma carriça de peito branco mais em ponto grande. Possui uma coroa cor de chocolate, parte superior preta, peito branco e abdómen castanho-avermelhado (mais escuro nas aves continentais).

Habita em rios de montanha, com cursos de água rápidos. Passa grande parte do tempo em busca de alimento no meio das águas onde revira as pedras, nada e mergulha. quando visto em voo passa como um míssil vocalizando. O seu território pode ter mais de 2 km.

Alimenta-se de macro invertebrados aquático, que captura durante os mergulhos ou nas rochas submersas.

Constrói um ninho tipo cúpula com musgos num buraco junto à água. efectua 2-3 posturas de Março a Junho com 5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Cinclus cinclus

Mede cerca de 17-18,5 com e é o ex-libris dos rios de montanha. É uma ave escura de cauda curta, marcada por uma conspíscua gorjeira branca, fazendo lembrar uma carriça de peito branco mais em ponto grande. Possui uma coroa cor de chocolate, parte superior preta, peito branco e abdómen castanho-avermelhado (mais escuro nas aves continentais).

Habita em rios de montanha, com cursos de água rápidos. Passa grande parte do tempo em busca de alimento no meio das águas onde revira as pedras, nada e mergulha. quando visto em voo passa como um míssil vocalizando. O seu território pode ter mais de 2 km.

Alimenta-se de macro invertebrados aquático, que captura durante os mergulhos ou nas rochas submersas.

Constrói um ninho tipo cúpula num buraco junto à água. efectua 2-3 posturas de Março a Junho com 5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante