Fotografia da Natureza por André Brito e Ana Esteves

Laverca

Alauda arvensis

Alauda arvensis_8

 

A Laverca é uma ave tipo cotovia que mede cerca de 17-18cm. É uma ave extremamente malhada. A parte superior é castanha a castanho-amarelado muito malhado, o peito castanho-amarelado malhado de castanho, mas com o abdómen desprovido de malhas (as malhas apenas se verificam nas partes laterais junto ás asas. O bico é curto, acastanhado e grosso. Apresenta também uma crista e a acuda é comprida com margens brancas.

A Laverca tem uma elevada plasticidade em relação aos habitas onde pode ser encontrada. Habita  em turfeiras, charnecas, campos, pântanos e montanhas. Observa-se com maior frequência quando canta em voos altos na Primavera e no Verão. É uma espécie residente na Europa Meridional e Ocidental. Os exemplares do Norte e Leste da Europa são migradores para o Ocidente.

Alimenta-se de sementes e insectos que vai capturando durante os períodos de actividade.

Constrói o ninho numa cova no chão efectuando 2-3 posturas de Abril a Junho com 3-4 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Alauda arvensis

A Laverca é uma ave tipo cotovia que mede cerca de 17-18cm. É uma ave extremamente malhada. A parte superior é castanha a castanho-amarelado muito malhado, o peito castanho-amarelado malhado de castanho, mas com o abdómen desprovido de malhas (as malhas apenas se verificam nas partes laterais junto ás asas. O bico é curto, acastanhado e grosso. Apresenta também uma crista e a acuda é comprida com margens brancas.

A Laverca tem uma elevada plasticidade em relação aos habitas onde pode ser encontrada. Habita  em turfeiras, charnecas, campos, pântanos e montanhas. Observa-se com maior frequência quando canta em voos altos na Primavera e no Verão. É uma espécie residente na Europa Meridional e Ocidental. Os exemplares do Norte e Leste da Europa são migradores para o Ocidente.

Alimenta-se de sementes e insectos que vai capturando durante os períodos de actividade.

Constrói o ninho numa cova no chão efectuando 2-3 posturas de Abril a Junho com 3-4 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Alauda arvensis

A Laverca é uma ave tipo cotovia que mede cerca de 17-18cm. É uma ave extremamente malhada. A parte superior é castanha a castanho-amarelado muito malhado, o peito castanho-amarelado malhado de castanho, mas com o abdómen desprovido de malhas (as malhas apenas se verificam nas partes laterais junto ás asas. O bico é curto, acastanhado e grosso. Apresenta também uma crista e a acuda é comprida com margens brancas.

A Laverca tem uma elevada plasticidade em relação aos habitas onde pode ser encontrada. Habita  em turfeiras, charnecas, campos, pântanos e montanhas. Observa-se com maior frequência quando canta em voos altos na Primavera e no Verão. É uma espécie residente na Europa Meridional e Ocidental. Os exemplares do Norte e Leste da Europa são migradores para o Ocidente.

Alimenta-se de sementes e insectos que vai capturando durante os períodos de actividade.

Constrói o ninho numa cova no chão efectuando 2-3 posturas de Abril a Junho com 3-4 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Alauda arvensis

Alauda arvensis_6

A Laverca é uma ave tipo cotovia que mede cerca de 17-18cm. É uma ave extremamente malhada. A parte superior é castanha a castanho-amarelado muito malhado, o peito castanho-amarelado malhado de castanho, mas com o abdómen desprovido de malhas (as malhas apenas se verificam nas partes laterais junto ás asas. O bico é curto, acastanhado e grosso. Apresenta também uma crista e a acuda é comprida com margens brancas.

A Laverca tem uma elevada plasticidade em relação aos habitas onde pode ser encontrada. Habita  em turfeiras, charnecas, campos, pântanos e montanhas. Observa-se com maior frequência quando canta em voos altos na Primavera e no Verão. É uma espécie residente na Europa Meridional e Ocidental. Os exemplares do Norte e Leste da Europa são migradores para o Ocidente.

Alimenta-se de sementes e insectos que vai capturando durante os períodos de actividade.

Constrói o ninho numa cova no chão efectuando 2-3 posturas de Abril a Junho com 3-4 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante