Fotografia da Natureza por André Brito e Ana Esteves

Archive for Outubro, 2013

Motacilla cinerea

Motacilla cinerea_2013_01

A Alvéola-cinzenta, é a maior das nossas alvéolas. Mede cerca de 18-20 cm. Esta alvéola apresenta a parte superior cinzenta, parte inferior amarela e asas pretas. Visível a listra superciliar branca e cauda é bastante comprida. No verão os machos apresentam a garganta preta. É frequente serem observadas junto a linhas de água em especial com águas correntes e rápidas.

Habita em águas doces interiores, pântanos e no inverno junto a quedas de água e açudes. Esta é uma espécie residente em Portugal, é visitante estival na Escandinávia e Nordeste da Europa.

A sua alimentação é baseada em insectos.

Constrói um ninho em forma de taça junto à água, efectua 1 postura de Abril-Maio com 4-6 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante

Anúncios

Regulus ignicapilla

Regulus ignicapilla_2013_03

A estrelinha de cabeça listada é a ave mais pequena da nossa avifauna, medindo apenas 9 cm. Nas fêmeas sobressai a coroa amarela coroada de preto, que no macho é mais ou menos alaranjada. Tem uma lista ocular negra que atravessa o olho e uma lista supraciliar branca.

Na época de nidificação habita em bosques de folhas perenes e mistos, assim como em parques e jardins. É uma ave migratória que passa o inverno em zonas mediterrâneas.

Alimenta-se de pequenos insectos e aracnídeos.

O ninho é em forma de malga com paredes grossas, pendente na forquilha de um ramo ou entre dois ramos próximos. Efectua duas posturas anuais, tendo cada postura 7-12 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Parus major

Parus major_2013_01

 

O chapim-real é o maior dos nossos chapins podendo medindo cerca de 14 cm. Também é nitidamente o mais marcado, com um barrete e um babete preto-brilhante, associado a uma linha preta que circunda as faces brancas. Tem uma lista preta vertical ao longo do peito que no macho é mais larga e mais comprida que na fêmea. O dorso é verde e as asas e cauda azul-esverdeado. A cauda possui ainda umas penas externas brancas.

Habita em quase todos os tipos de habitats, desde jardins, pauis, charnecas, bosques e sebes. Em formações puras de coníferas é frequente ser a ave mais abundante. esta é uma espécie que se encontra amplamente distribuída pela Europa, sendo residente  em quase todo este território à excepção do Norte da Escandinávia onde é migrador.

Alimenta-se à base de insectos e sementes, sendo as sementes a base da sua dieta no Inverno. Aparece com muita frequência em alimentadouros onde se  mostra bastante agressivo a outras aves.

constrói o ninho em forma de taça num buraco de árvore ou caixa-ninho. Efectua apenas uma postura de Março-maio com 8-13 ovos.


Otus scops

Otus scops_Andre_Brito