Fotografia da Natureza por André Brito e Ana Esteves

Archive for Abril, 2013

Merops apiaster

Merops apiaster

 

O abelharuco é uma ave muito colorida de tamanho médio (27-29 cm). Os indivíduos adultos apresentam a coroa e nuca castanha, dorso amarelo acastanhado, mento amarelo, e parte inferior azul. Muito visível a listra ocular preta assim como uma listra preta que separa a garganta do peito. Não é notório dimorfismo sexual. Normalmente formam bandos, onde são facilmente identificáveis através dos seu voo rápido e acrobático sempre acompanhado pelo seu característico chamamento.

Habita em campos abertos, arborizados e pomares. É uma espécie  estival na Península Ibérica onde apenas pode ser observada durante a época de reprodução. Os bandos migratórios normalmente voam a elevada altitude fora do alcance visual, mas mesmo assim é possível ouvir o seu chamamento.

Alimenta-se de insectos que captura durante o voo.

Constrói o ninho  num talude onde faz um pequeno túnel. Efectua 1 postura entre Maio-Junho com 4-7 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante

Anúncios

Merops apiaster

 

Merops apiaster_4

 

O abelharuco é uma ave muito colorida de tamanho médio (27-29 cm). Os indivíduos adultos apresentam a coroa e nuca castanha, dorso amarelo acastanhado, mento amarelo, e parte inferior azul. Muito visível a listra ocular preta assim como uma listra preta que separa a garganta do peito. Não é notório dimorfismo sexual. Normalmente formam bandos, onde são facilmente identificáveis através dos seu voo rápido e acrobático sempre acompanhado pelo seu característico chamamento.

Habita em campos abertos, arborizados e pomares. É uma espécie  estival na Península Ibérica onde apenas pode ser observada durante a época de reprodução. Os bandos migratórios normalmente voam a elevada altitude fora do alcance visual, mas mesmo assim é possível ouvir o seu chamamento.

Alimenta-se de insectos que captura durante o voo.

Constrói o ninho  num talude onde faz um pequeno túnel. Efectua 1 postura entre Maio-Junho com 4-7 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante

 


Oenanthe hispanica

Oenanthe hispanica3

Esta é uma espécie que não é fácil de observar, mede cerca de 14-15 cm. O macho possuiu asas pretas que contrastam com o dorso e coroa cor de areia, e com o abdómen branco. Apresentam uma máscara preta que em certos indivíduos pode também se estender até à garganta. As fêmeas são semelhantes ao chasco-cinzento, mas com a máscara mais escura e a área escura das asas é mais extensa.

Esta espécie habita principalmente regiões abertas e rochosas. É um visitante  estival na Europa Ocidental, podendo ser observado entre Março-Outubro.

A sua alimentação é à base de insectos.

Constrói ninho numa fenda de rocha, efectua 2 posturas de Maio-Junho com 4-5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): VU – Vulnerável


Oenanthe hispanica

Oenanthe hispanica2

Esta é uma espécie que não é fácil de observar, mede cerca de 14-15 cm. O macho possuiu asas pretas que contrastam com o dorso e coroa cor de areia, e com o abdómen branco. Apresentam uma máscara preta que em certos indivíduos pode também se estender até à garganta. As fêmeas são semelhantes ao chasco-cinzento, mas com a máscara mais escura e a área escura das asas é mais extensa.

Esta espécie habita principalmente regiões abertas e rochosas. É um visitante  estival na Europa Ocidental, podendo ser observado entre Março-Outubro.

A sua alimentação é à base de insectos.

Constrói ninho numa fenda de rocha, efectua 2 posturas de Maio-Junho com 4-5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): VU – Vulnerável