Fotografia da Natureza por André Brito e Ana Esteves

Archive for Setembro, 2012

Ficedula hypoleuca

 

O Papa-moscas-preto mede cerca de 12-13 cm. Esta pequena ave robusta apresenta colorações bem distintas no Verão e no Inverno. O macho de Verão é preto na parte superior com fonte branca, peito branco e uma área branca bem visível nas asas. A fêmea e macho de inverno são muito semelhantes. Apresentam a coloração mais acastanhada, menor fonte branca e menor área branca nas asas.

O papa-Moscas gosta de se empoleirar nos ramos e cercas de campo aberto para poderem caçar insectos. Apresenta um comportamento típico em que levanta do poleiro e regressa quase sempre ao mesmo. O seu habitat de preferência são bosque, mas pode ser encontrado em muitos tipos de habitats. É uma espécie visitante estival na Europa, contudo é apenas migrador de passagem em Portugal.

Alimenta-se de insectos que caça em pleno voo.

Constrói o ninho em forma de taça num buraco de árvore. Efectua 1 postura com 4-7 ovos.


Ficedula hypoleuca

O Papa-moscas-preto mede cerca de 12-13 cm. Esta pequena ave robusta apresenta colorações bem distintas no Verão e no Inverno. O macho de Verão é preto na parte superior com fonte branca, peito branco e uma área branca bem visível nas asas. A fêmea e macho de inverno são muito semelhantes. Apresentam a coloração mais acastanhada, menor fonte branca e menor área branca nas asas.

O papa-Moscas gosta de se empoleirar nos ramos e cercas de campo aberto para poderem caçar insectos. Apresenta um comportamento típico em que levanta do poleiro e regressa quase sempre ao mesmo. O seu habitat de preferência são bosque, mas pode ser encontrado em muitos tipos de habitats. É uma espécie visitante estival na Europa, contudo é apenas migrador de passagem em Portugal.

Alimenta-se de insectos que caça em pleno voo.

Constrói o ninho em forma de taça num buraco de árvore. Efectua 1 postura com 4-7 ovos.


Prunella modularis

A Ferreirinha-comum mede cerca de 14-15 cm é caracteriza-se por ser uma ave muito dócil. É uma ave que facilmente passa despercebida num bando de pardais, mas o bico fino e a coloração cinzenta da parte anterior distinguem-na no bando. A coloração da parte superior é castanha malhada de preto, tendo a parte inferior cinzenta. O uropígio cinzento-escuro é igualmente uma característica marcante desta ave. Os juvenis apresentam a parte inferior toda malhada de preto e a cabeça menos cinzenta.

Passa maior parte do tempo no chão em busca de comida e raramente se afasta de uma zona de cobertura. As vezes que se afasta da vegetação mais densa é quando canta. Os locais óptimos para habitar são jardins, charnecas, bosques, campos e sebes todos eles com elevada vegetação. É uma espécie bem distribuída na Europa, onde apenas é migradora  na Escandinávia.

A sua alimentação varia entre sementes, bagas e insectos.

Constrói o ninho em forma de taça numa moita, efectua 2 posturas anuais entre Abril-Maio com 4-5 ovos


Athene noctua

 

Este pequeno Mocho mede cerca de 21-23 cm. O Mocho-galego começa a apresentar actividade crepuscular, pode ser observado ao entardecer, durante a noite e ao amanhecer. É facilmente identificável pelo seu tamanho e pela forma arredondada. A coloração é malhada de castanho, castanho-amarelado e cinza. Os olhos são amarelos proeminentes.

Passa grande parte do tempo em fendas de rochas ou orifícios de árvores, contudo muitas vezes encontra-se no cimo de rochas, ramos e cercar locais que permitem avistar as suas presas. Esta espécie encontra-se em vários tipos de habitat, desde cidades/aldeias, bosques, charnecas, Jardins e campos. è uma espécie residente na Europa, mas ausente na Islândia, norte da Grã-Bertenha e da Escandinávia.

Alimenta-se de insectos, micromamíferos e pequenas aves.

Constrói o ninho num buraco de árvore ou de um muro. Efectua 1 postura com 3-5 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante

 


Oenanthe oenanthe

 

O chasco-cinzento, mede cerca de 14 a 16,5 cm. Esta ave apresenta algumas características que a torna facilmente identificável. Apresenta uma cauda preta e branca com um T preto na ponta e a base branca. A parte superior é cinzenta ou castanho-acinzentado. possui uma lintra superciliar branca ou amarelada. Os machos, na primavera/ Verão apresenta a cora e as partes superiores cinzas, uma mascarilha preta, asas pretas e coloração cor de areia no peito e garganta.

É uma aves que raramente pousa mais alto que um rochedo ou um pau de cerca, sendo visto a maior parte das vezes no chão, onde apresenta uma posição aprumada com súbitos movimentos rápidos. Habita preferencialmente em turfeiras, charnecas, pastagens campos abertos e até praias. É uma espécie estival em Portugal que pode ser observada durante a época de reprodução,  até ao fim do Verão.

Alimenta-se de pequenos insectos que procura no solo e entre a vegetação.

Constrói o ninho em forma de taça numa fenda de rocha, antas, muros de pedra, telhados e até em tocas de coelho. Efectua 1-2 posturas com 5-6 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Oenanthe oenanthe

O chasco-cinzento, mede cerca de 14 a 16,5 cm. Esta ave apresenta algumas características que a torna facilmente identificável. Apresenta uma cauda preta e branca com um T preto na ponta e a base branca. A parte superior é cinzenta ou castanho-acinzentado. possui uma lintra superciliar branca ou amarelada. Os machos, na primavera/ Verão apresenta a cora e as partes superiores cinzas, uma mascarilha preta, asas pretas e coloração cor de areia no peito e garganta.

É uma aves que raramente pousa mais alto que um rochedo ou um pau de cerca, sendo visto a maior parte das vezes no chão, onde apresenta uma posição aprumada com súbitos movimentos rápidos. Habita preferencialmente em turfeiras, charnecas, pastagens campos abertos e até praias. É uma espécie estival em Portugal que pode ser observada durante a época de reprodução,  até ao fim do Verão.

Alimenta-se de pequenos insectos que procura no solo e entre a vegetação.

Constrói o ninho em forma de taça numa fenda de rocha, antas, muros de pedra, telhados e até em tocas de coelho. Efectua 1-2 posturas com 5-6 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Oenanthe oenanthe

 

O chasco-cinzento, mede cerca de 14 a 16,5 cm. Esta ave apresenta algumas características que a torna facilmente identificável. Apresenta uma cauda preta e branca com um T preto na ponta e a base branca. A parte superior é cinzenta ou castanho-acinzentado. possui uma lintra superciliar branca ou amarelada. Os machos, na primavera/ Verão apresenta a cora e as partes superiores cinzas, uma mascarilha preta, asas pretas e coloração cor de areia no peito e garganta.

É uma aves que raramente pousa mais alto que um rochedo ou um pau de cerca, sendo visto a maior parte das vezes no chão, onde apresenta uma posição aprumada com súbitos movimentos rápidos. Habita preferencialmente em turfeiras, charnecas, pastagens campos abertos e até praias. É uma espécie estival em Portugal que pode ser observada durante a época de reprodução,  até ao fim do Verão.

Alimenta-se de pequenos insectos que procura no solo e entre a vegetação.

Constrói o ninho em forma de taça numa fenda de rocha, antas, muros de pedra, telhados e até em tocas de coelho. Efectua 1-2 posturas com 5-6 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Phylloscopus trochilus

A Felosa-musical é uma ave de pequenas dimensões (10,5-11,5 cm). É muito semelhante à felosa-comum. Apresenta uma parte superior castanho-esverdeado, sendo a parte inferior castanho-claro-amarelado. Tem uma lista superciliar mais marcada que a felosa-comum que se estende para lá do olho.

Habita principalmente em florestas e campos boscosos, charnecas e sebes. Esta ave é visitante estival na Europa com excepção da Península Ibérica onde é migradora de passagem.

A sua alimentação baseia-se em pequenos insectos.

Efectua 1-2 posturas anuais entre Abril-Junho com 6-7 ovos.


Sylvia undata

A Felosa-do-mato ou Toutinegra-do-mato, é uma felosa muito pequena (12-13 cm). Apresenta a parte superior cinzento-acastanhada, mais acinzentada na cabeça. A parte inferior é castanha-escura cor de vinho com pintas brancas espaçadas na garganta. Possui um cauda longa muitas vezes arrebitada quando esta se encontra empoleirada. Característica também importante na identificação desta ave é a orla do olho vermelha.

Habita em charnecas, e zonas com matos densos. Normalmente muito bem escondida por entre a cobertura densa dos espessos matagais de tojo e urze. É mais fácil de observar quando canta no início da Primavera.

Alimenta-se sobretudo de insectos.

Constrói um ninho em forma de taça junto ao solo na espessura da vegetação. efectua 2-3 posturas de Abril-Junho com 3-4 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante


Motacilla alba

A Alvéola-branca, é a mais comum da nossas alvéolas. Mede cerca de 17-18 cm. O macho é sobretudo preto na parte superior e com face branca. A fêmea é semelhante, mas com o dorso cinzento-ardósia. Os juvenis e aves de 1º inverno possuem o dorso cinzento.

Habita em águas doces interiores, campos, jardins e também é muito comum visualizarem-se a caminhar em estradas. Esta é uma espécie residente em Portugal, é visitante estival na Escandinávia e Europa Oriental.

A sua alimentação é baseada em insectos.

Constrói um ninho em forma de taça junto (ou mesmo) ao solo, efectua duas posturas de Abril-Junho com 5-6 ovos.

Estatuto de conservação (Livro vermelho de Vertebrados): LC – Pouco preocupante